domingo, 10 de dezembro de 2017

A Praia de Santa Luzia (Conto), de Pierre de Bourdeille


O marido esquecido

(Tradução: Alfredo Ferreira)

Digitalização e atualização ortográfica: Iba Mendes (2017)
---


Luiz, duque de Orleans, assassinado na porta Barbette, em Paris, fez muito ao contrário (grande debochador das damas da corte, e sempre das maiores); porque, tendo dormido com ele uma grande e bela dama, assim que o marido dela veio ao seu quarto para dizer-lhe bom dia, ele foi cobrir a cabeça da dama, esposa do outro, com o lençol, e descobriu-lhe todo o corpo, fazendo-lho ver completamente nu, e tocar-lhe a seu bel-prazer, com proibição expressa, sob risco da vida, de não lhe tirar o lençol do rosto, nem lho descobrir de forma alguma, ao que o outro não ousou desobedecer, e perguntando-lhe por várias vezes o que lhe parecia aquele corpo completamente nu: o outro ficou todo assombrado e grandemente satisfeito. O duque ordenou-lhe afinal que saísse do seu quarto, o que ele fez sem ter podido nunca reconhecer que era a sua própria esposa.

Se ele a tivesse visto e examinado completamente nua, como muitas que eu vi, ele a teria reconhecido entre mil, sem dúvida; o que mostra que é aconselhável examinar-lhes uma vez por outra o corpo.

Ela, depois que o; marido saiu, foi interrogada pelo senhor de Orleans sobre se tinha tido susto e medo. Deixo-os imaginar o que ela disse, do receio e pavor que passara durante um quarto de hora; porque não era preciso mais que uma pequena indiscrição, ou a menor desobediência que o marido tivesse cometido para levantar o lençol; era verdade, disse o senhor de Orleans, mas ele o teria matado logo, para impedir que pudesse fazer qualquer mal à esposa.

E o melhor foi que esse marido, à noite depois de deitado com a mulher, disse-lhe que o Sr. de Orleans lhe mostrara a mais bela mulher nua que jamais vira, mas que, quanto ao rosto, não lhe sabia disser nada, porque ele não lho deixara ver. Deixo-os imaginar o que poderia a mulher pensar dele consigo mesma. E dessa grande dama e do senhor de Orleans, diz-se que nasceu esse valente e destemido bastardo de Orleans, o sustentáculo da França e o flagelo da Inglaterra, e do qual veio essa nobre e generosa raça dos Dunois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...