segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

O Padre sem cuidado (Conto), de Sílvio Romero


O Padre sem cuidado
(Contos populares do Brasil – Sergipe)

Pesquisa e atualização ortográfica: Iba Mendes (2017)

---

Havia um padre que nunca tinha tido na sua vida um cuidado. Nada o preocupava, a ponto dele ter escrito em sua porta o seguinte: “Aqui mora o padre sem cuidados.” O rei, sabendo disto, ficou muito admirado e disse que queria saber se era verdade o que aquele padre tinha escrito em sua porta. Mandou-o chamar, e logo que ele chegou e perguntou qual o fim daquele chamado, disse-lhe o rei que era saber se com efeito ele nunca tinha tido em sua vida cuidados. Disse-lhe o padre que na verdade não havia coisa alguma que o tivesse preocupado, que passava sua vida sem ter cuidados. Então disse-lhe o rei: “Quero que daqui a três dias o senhor venha me responder, sob pena de morte, a três perguntas que vou lhe fazer.” Despediu-se o padre e saiu do palácio já todo cheio de cuidados. Chegou em casa só pensando na sentença dada pelo rei. Veio o jantar, mas ele não quis comer, tão preocupado estava, e deitou-se em uma rede muito pensativo. No outro dia ainda não quis almoçar, o que, vendo o criado, perguntou-lhe a razão por que ele estava tão triste e sem querer comer. Responde-lhe o padre: “Ah, criado, é que eu estou cheio de cuidados. O rei mandou-me chamar e disse-me que, sob pena de morte, eu hei de ir responder a três perguntas que ele vai me fazer. Isto me tem dado muito que pensar, pois não sei mesmo o que hei de dizer.” O criado vendo o vexame com que estava o padre, disse-lhe: “Não tem nada, se V. Reverendíssima quer, eu vou em seu lugar responder às perguntas do rei.” O padre não acreditou nem quis aceitar a proposta do criado, mas este replicou dizendo que o padre lhe desse sua batina e que podia ficar descansado, que ele prometia desempenhar bem o seu papel. No dia designado pelo rei, o criado rapou bem a barba e o bigode, abriu uma coroa, vestiu a batina do padre e foi para a casa do rei. Este mandou-o sentar-se, e na presença de toda a corte fez-lhe a seguinte pergunta: “Diga-me, quantos cestos de areia tem ali naquele monte?” O padre sem cuidados levantou-se, olhou para o monte designado pelo rei e disse: “Ora, rei meu senhor, é isto? Saberá Vossa Real Majestade que ali tem um cesto de areia.” Disse-lhe o rei: “Um só, como assim?” Tornou o padre: “Vossa Real Majestade mande fazer um cesto muito grande, que abranja todo o monte, e eis aí o que digo.” Aí todas as pessoas presentes bateram muita palma e o rei ficou muito satisfeito. Depois fez-lhe a segunda pergunta, que foi a seguinte: “Diga-me, quantas estrelas tem no céu?” O padre deu umas voltas pela sala e disse: “No céu há tantos milhões de milhões de estrelas.” E deu uma soma muito grande. O rei, que também não sabia, concordou com que o padre disse. A terceira pergunta do rei foi:

— Quero que me diga o que é que eu estou aqui pensando. Vira-se o padre para ele e diz:

— Vossa Real Majestade pensa que está falando com o padre sem cuidados, mas está falando é com o criado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...