quarta-feira, 4 de julho de 2018

Temas Poéticos: OLHO - I


Teus olhos

JUNQUEIRA FREIRE

Que lindos olhos
Que estão em ti!
Tão lindos olhos
Eu nunca vi...

Pode haver belos
Mas não tais quais;
Não há no mundo
Quem tenha iguais.

São dois luzeiros,
São dois faróis:
Dois claros astros,
Dois vivos sóis.

Olhos que roubam
A luz de Deus:
Só estes olhos
Podem ser teus.

Olhos que falam
Ao coração:
Olhos que sabem
Dizer paixão.

Têm tal encanto
Os olhos teus!
— Quem pode mais?
Eles ou Deus?

★★★

O teu olhar

FLORBELA ESPANCA

Passam no teu olhar nobres cortejos,
Frotas, pendões ao vento sobranceiros,
Lindos versos de antigos romanceiros,
Céus do Oriente, em brasa, como beijos,

Mares onde não cabem teus desejos;
Passam no teu olhar mundos inteiros,
Todo um povo de heróis e marinheiros,
Lanças nuas em rútilos lampejos;

Passam lendas e sonhos e milagres!
Passa a Índia, a visão do Infante em Sagres,
Em centelhas de crença e de certeza!

E ao sentir-se tão grande, ao ver-te assim,
Amor, julgo trazer dentro de mim
Um pedaço da terra portuguesa!

★★★

Teus olhos

FLORBELA ESPANCA

Olhos do meu Amor! Infantes louros
Que trazem os meus presos, endoidados!
Neles deixei, um dia, os meus tesouros:
Meus anéis, minhas rendas, meus brocados.

Neles ficaram meus palácios mouros,
Meus carros de combate, destroçados,
Os meus diamantes, todos os meus ouros
Que trouxe d’Além-Mundos ignorados!

Olhos do meu Amor! Fontes... cisternas...
Enigmáticas campas medievais...
Jardins de Espanha... catedrais eternas...

Berço vindo do Céu à minha porta...
Ó meu leito de núpcias irreais!...
Meu suntuoso túmulo de morta!...

★★★

Seus olhos

CÁRMEN FREIRE
"Visões e Sombras" (1897)

Quem viu jamais a luz do sol desponte
Em límpida manhã de claro dia,
Branda luz que não dói, mas que alumia
O inseto, a flor e as pérolas da fonte;

Que nos visos da serra do horizonte
Acende um sol em cada penedia,
E enche o bosque de luz e de alegria
Aos hinos festivais do mar defronte;

E seus olhos que a terra e o céu retratam
Num meigo olhar de plácida doçura...
— Olhos que nos dão vida ou que nos matam...

Má ideia terá!... Fora loucura
Tentar fugir se os raios seus desatam
Aqueles olhos de pupila escura.

★★★

Teus olhos

ATAÍDE MARCONDES
"Amarantos: versos" (19..)

“Tão meigamente derramam
Fogo e luz do coração.”
G. Dias.

Esses teus olhos tão lindos,
Tão ternos, e sedutores
São dois gentis pirilampos
São dois formosos amores.

Inda não vi olhos límpidos
E formosos como os teus.
— São dois astros refulgentes
Que cintilam lá nos céus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...