quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

"Humildade" (Humor de Outrora)



HUMILDADE

O Fortunato não era, em matéria de fidelidade conjugal, um tipo que servisse de exemplo. Um dia, por insistência da família, foi confessar-se.

Após algumas perguntas, disse-lhe o vigário:

— Filho, confesse: quantas vezes tem enganado a sua mulher?

— Reverendo, respondeu ele. Eu vim aqui para humilhar-me, e não para contar vantagem!

“O Estado, 1936”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...