domingo, 20 de janeiro de 2019

Chico Redondo (Emilianas)



Chico Redondo


Estava Emílio de Menezes parado na Rua do Ouvidor — esquerda da Quitanda — assistindo ao formigar da turbamulta, na pompa tumultuosa e variada de sedas e perfumes, quando passaram por ele duas mocinhas elegantes, cheias de mimos e bem curiosas:

— Aquele é que é o Chico Redondo?

O grande poeta ouviu a indiscreta pergunta. Franziu as sobrancelhas numa nítida demonstração de desagrado. Dirigiu-se subitamente e numa atitude como que agressiva para onde se achavam as meninas. Estas arregalaram os olhos alvoroçadas de medo... Então Emílio recompôs a fisionomia transtornada e, numa representação de exímio ator, recitou num magnífico improviso:

À pergunta lhes respondo:
E insultá-las não vou!
Talvez que eu seja redondo.
Porém Chico é que no sou!


---
Diário da Manhã, 20 de agosto de 1931, por José Paulino.
Pesquisa e adequação ortográfica: Iba Mendes (2019)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...