domingo, 20 de janeiro de 2019

Fraque (Emilianas)


Fraque

Queixava-se Emílio de Menezes, certa vez, ao alfaiate Almeida Rabelo, de não poder comparecer a certos lugares por falta de um fraque.

— E aquele com que você andava há tempos? —indagou o costureiro.

— Esse não presta mais, não tem botões.

— Pois traga o fraque que eu lhe prego os botões — propôs o Almeida.

Dias depois, aparecia Emílio na alfaiataria com um embrulho pequenino, que tirou da algibeira.

— Ó Rabelo! — chamou.

E dando-lhe o embrulhinho:

— Prega-me um fraque nesses botões... Sim?


---
O Imparcial, 11 de setembro de 1923.

Pesquisa e adequação ortográfica: Iva Mendes (2019)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...