terça-feira, 14 de maio de 2019

A muda Mudela (Fábula), de Teófilo Braga



A muda Mudela

Era uma vez um homem que tinha duas filhas; a mais nova era muito linda e a mais velha muito feia, e por isso embirrava com a irmã, que a não podia ver. A feia intrigava-a com o pai, que se fiava em quanto lhe dizia; um dia armou uma traição à irmã para a perder. Morava por ali um rapaz muito valdevinos, que tentava todas as raparigas, e a irmã feia disse à mais nova que fosse àquela casa, porque ali existia uma família envergonhada e em grande miséria, a quem ela podia socorrer, porque tinha bom coração. Assim que a irmã saiu a socorrer a tal família, a irmã mais velha avisou o pai, que lhe foi sair ao encontro, e ficou suspeitando o que não era. Desesperado com a sua afronta, o pai resolveu mandar matá-la, e deu ordem a um criado que a levasse para a floresta, para acabar com a pobre menina. Mas o criado teve dó dela e deixou-a perdida no meio da floresta só com a companhia de uma cadelinha, que ela estimava muito e que nunca a deixava. A menina viveu por algum tempo dentro de uma furna, comendo ervas. Andando um dia o rei à caça viu uma cadelinha, e mandou dar-lhe pão; a cadelinha pegou no pão e fugiu para o ir levar à sua dona. Passado tempo a cadelinha foi aparecer ao rei em outro sítio, tornaram a dar-lhe pão, e fugiu outra vez; o rei mandou acompanhar a cadelinha para ver para onde ela ia, e qual não foi o espanto ao irem encontrar uma donzela tão formosa e que parecia tão desgraçada. Ora esquecia dizer que a menina tinha prometido que se escapasse da morte e fosse salva daqueles trabalhos, estaria sete anos sem falar. Quando o rei a encontrou e lhe fez perguntas, ela lembrou-se da sua promessa, e não disse uma palavra. O rei levou-a para o palácio, porque gostava muito dela, e tanto se apaixonou que queria, desse por onde desse, casar com a menina. A mãe do rei aconselhava-o a que não casasse senão quando ela tornasse a achar a fala.

Ao fim de muito tempo, pouco antes dos sete anos, o rei já sem esperança pediu uma princesa para casamento, e foi com toda a sua corte buscá-la. A menina mandou então fazer um vestido com uma das mangas muito larga, e no dia em que o rei voltou foi receber os noivos à escadaria. A princesa assim que a viu deu uma grande gargalhada, dizendo:

Olha a muda de mudela,
Que dentro da manga traz uma panela?

A menina respondeu Jogo:
Olha a princesa destemperada,
Que logo que entra mal fala.
E eu há sete anos que aqui estou
É a primeira fala que dou.

O príncipe ficou pasmado com o que viu, desfez logo ali o casamento com a princesa, e casou com a menina, como tanto tinha desejado.

(Algarve — Portimão)

---
Pesquisa e atualização ortográfica: Iba Mendes (2019)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...