terça-feira, 11 de setembro de 2018

André Vidal de Negreiros (Dados Biográficos)

André Vidal de Negreiros (Dados Biográficos)

Pesquisa e atualização ortográfica: Iba Mendes (2018)
---

Era filho da Paraíba; depois de haver expulsado os holandês da Bahia, em 1636 e 1638; depois deter alcançado com glória o posto de tenente-coronel, determinou partir em 1644 para Pernambuco.

Em 1645, depois de muitos combates parciais, bate os holandeses no engenho de Ana Paes; nesse mesmo ano derrota o estrangeiro perto do engenho de Antônio Fernandes Pessoa.

Em 1646 o Rio Grande pede-lhe socorro, e ele oferece-se para perseguir o inimigo. Depois de ter derrotado os holandeses no Rio Grande e Paraíba, e coberto de glória e abençoado pelo povo, volta a Pernambuco.

Na primeira e segunda batalha dos Guararapes acomete o inimigo de noite e o desbarata.

Em 1654 toma o reduto de Milton, e sabe ter piedade dos vencidos.

Com mil e cem infantes ataca o forte das Cinco Pontas. A empresa é arriscada, mas ele, o gênio da guerra, supera tudo e impõe aos holandeses o tratado de paz de 1654, pelo qual lhe entregavam a praça do Recife com todas as suas defensas, e as capitanias de Itamaracá, Rio Grande e Paraíba.

Sendo ele o primeiro guerreiro dessa luta patriótica, foi o encarregado de levar a D. João IV em Lisboa a feliz notícia de paz.

El-Rei o recebe com agrado, e para recompensá-lo de vinte anos de serviços, o nomeia governador do Maranhão; dá-lhe o foro de grande fidalgo, uma comenda lucrativa na ordem de Cristo, tendo ele já a comenda de São Pedro, e as alcaidarias de Marialva e Moreira.

Foi nomeado mais tarde governador de Angola.

Religioso como um santo, instituiu perto de Goiana a capela da Senhora do Desterro.

Partindo para Angola, fez aí importantes serviços, alcançando a vitória de Anabouilla.

Os nossos historiadores não relatam o ano e o lugar em que morreu tão distinto varão, e nem se tem notícia do seu jazigo.


---
Fonte:
Manuel Francisco Dias da Silva
Dicionário biográfico de brasileiros célebres nas letras, artes, política, ciências etc. (1871).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...