domingo, 16 de setembro de 2018

Homenagens a Luís Delfino em 1934


Homenagens a Luís Delfino em 1934

Passa hoje, o centenário do nascimento do inspirado poeta brasileiro Luís Delfino.

Em Florianópolis, sua terra natal, será essa data comemorada do seguinte modo: a casa em que nasceu Luís Delfino, na Rua Augusta, amanhecerá enfeitada com folhagens e à noite haverá uma sessão cívica na qual se farão ouvir vários oradores.

Nesta capital, o Centro Catarinense organizou o seguinte programa comemorativo: pela manhã, às 10h30min, romaria ao túmulo de Luís Delfino, no cemitério de São Francisco Xavier, sendo orador o ilustre lente da Escola Naval, Dr. Teófilo Nolasco de Almeida. Sobre o seu túmulo depositará o Centro uma rica grinalda.

A distinta diretora da Escola Luís Delfino, dona Zuleida Godinho Recife, neta de Quintino Bocaiúva, realizará, às 15 horas uma festa escolar, sendo nessa ocasião inaugurado o retrato de Luís Delfino, oferecido pela família do poeta.

À noite, às 20h30min, no salão nobre do Club de Engenharia, celebrará o Centro sessão comemorativa, sob a presidência do Dr. A. Gallotti.

O eminente sociólogo e pensador, Dr. Gilberto Amado, estudará com o costumado brilho e saber a obra de Luís Delfino.

Haverá um intermédio no qual tomarão parte: duas alunas da Escola Luís Delfino, o consagrado poeta Alberto de Almeida, as senhoritas Marina de Pádua, Gardênia Gomes, Leonor Posada e Maria de Oliveira, Adauto Filho e outros, declamando poesias de Luís Delfino.

Comemorando a data de hoje, o seu filho Dr. Tomás Delfino, dará à publicidade o terceiro livro de versos de Luís Delfino — Poesias Líricas — havendo ainda poesias inéditas para mais doze volumes.

Nasceu Luís Delfino dos Santos, Luís Delfino, como é conhecido nas letras, na cidade do Desterro, assente em Ilha Formosa, capital da província de Santa Catarina, em 25 de agosto do 1834. Teve por genitores Tomás dos Santos, português de origem, brasileiro pela lei, e Delfina Vitorina, brasileira; dos dez irmãos era Luís o primeiro nascido. Exercia Tomás dos Santos a sua atividade no comércio e a loja de negócio ainda hoje existe em Florianópolis, antiga Desterro.

A Obra literária de Luís Delfino é das mais extensas. Acham-se publicados: um livro de sonetos, — Algas e Musgos, — outro de Poemas e outro de Poesias Líricas. Está se editando outro livro de sonetos, na Renascença, sob o título — Íntimas e Aspásias. Encontram-se reunidos e prontos para vir à lume ainda vários livros de sonetos, de poemas, de poesias líricas e de prosas e traduções, são no mínimo mais doze volumes.

Faleceu Luís Delfino aos 75 anos de idade, em 1910, nesta cidade do Rio de Janeiro, sendo sepultado no cemitério de São Francisco Xavier.

Diário Carioca, 25 de agosto de 1934.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...