sexta-feira, 14 de setembro de 2018

O poeta Luís Delfino (Crítica)



O poeta Luís Delfino

A obra de Luís Delfino é das mais interessantes, seja do ponto de vista intelectual puro, seja do ponto de vista estético.
Poucos dos nossos poetas produziram tanto quanto esse
vate catarinense: e poucos, como ele, versaram tão variados temas, trouxeram para as medidas da poesia tantos assuntos psicológicos e morais.
Poeta lírico, foi Luís Delfino pródigo em sonetos e composições de maior metro, em que a sua inspiração se expandiu através de frases harmoniosas que ainda hoje nos deliciam o ouvido e empolgam o sentimento. Poeta filósofo, soube tratar, em poesia, sempre com uma superior dignidade, alguns conceitos que, em mãos menos ágeis, seriam apenas o pretexto para digressões aborrecidas e estéreis.
Nessas condições, interessando a um vasto púbico, Luís Delfino merece ser revivido a cada instante na imaginação dos leitores contemporâneos: e, assim, achamos muito louvável o trabalho, carinhoso e perseverante, do Sr. Tomás Delfino, filho do poeta e cultor apaixonado da memória paterna, de publicar todos os versos inéditos do bardo das Íntimas e Aspásias.
A coletânea, das mais sugestivas, contribui para que se torne dos mais proveitosos o contato entre os jovens de hoje e o poeta que foi, sem dúvida alguma, uma das mais singulares e destacadas figuras da poesia brasileira de ontem.
Revista "Vamos Ler!"
19 de março de 1942.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...