quarta-feira, 17 de outubro de 2018

A coroa e a canção, Rabindranath Tagore (Poema Traduzido)


Autor: Rabindranath Tagore
Tradutor desconhecido (Revista Excelsior)
Ano: 1931.
 A coroa e a canção

Tratei toda esta manhã de tecer-te uma coroa: ruas, ai! as flores rolavam dos meus dedos, e caíam no pó do chão.

Tu, sentada estavas ali, bem perto, e era de oblíqua maneira que o meu trabalho observavas.

Perguntai, vós que me ledes, a esses olhos de malícia, a quem foi que coube a culpa...

Dissimula-se um sorriso a tremular nos teus lábios. Perguntai a esse sabido sorriso, que finge o néscio, a razão do meu fracasso.

Oh, deixa que a tua boca sorridente diga a forma porque a minha voz se foi aniquilar no silêncio, como uma abelha embriagada no seio aberto de um loto.


É noite: o instante em que as flores vão cerrar as suas pétalas... Permite que eu me acomode ao teu lado e, após, ordena aos meus lábios que se entreabram e façam o que se pode fazer no silêncio imenso da noite, sob a difusa claridade das estrelas...


---
Imagem: Revista  Careta, 18 de abril de 1914.
Pesquisa, transcrição e adaptação ortográfica: Iba Mendes (2018)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...