sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

"Oração" (Humor de Outrora)


ORAÇÃO

Certa ocasião, na mesa de uma estalagem, após um longo percurso, assentaram-se para jantar várias passageiros de uma diligência.

No grupo encontrava-se um austero e piedoso bispo, que não se cansava de proferir conselhos e consolações aos seus companheiros de viagem, emitindo conceitos religiosos e pregando a resignação, cada vez que se lhe deparava uma oportunidade.

Em dado momento, porém, ao servir-se da comida, o bispo teve a pouca sorte de pegar num prato tão quente, que chegou a queiram-lhe os dedos.

Apesar da sua qualidade de ministro de Deus, o prelado não se conteve e deixou escapar uma enxurrada de pragas e ditos muito pouco episcopais.

Um dos presentes que recebera conselhos do padre, num instante em que se exaltara, puxou de um caderninho, a lápis, rápido, começou a escrever alguma coisa, olhando para religioso.

Este perguntou-lhe:

— Que está a escrever aí, irmão?

E o interpelado, com toda a calma:

— Estou apenas tomando notas, para não me esquecer da oração que vossa excelência acaba de proferir, Sr. bispo, contra queimaduras.



Jornal “O Estado”, 1936.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...