sábado, 12 de janeiro de 2019

Terra de verdes campinas (Trovas, 1929)


Terra de verdes campinas
(1929)

Terra de verdes campinas
De aves e flores querida,
Onde rebentam boninas,
Onde as rosas têm mais vida.
A siricoia se espanta
Se geme o carnaubal
E a brisa de manso canta
Nas folhas do juremal.

Lá mora a tardo sem pressa
Num banho de luz desfeita.
E quando a noite começa
De pirilampos se enfeita.

Terra de eternos verdores
Das borboletas de abril
Onde o sol tem fulgores,
Onde maio é mais gentil.

Rola – cabocla do agreste
Que o ninho fazer vieste,
Dá-me novas das campinas,
Das graúnas, das boninas,
Dos lagos, dos paturis.

ALÍPIO BANDEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...