domingo, 16 de junho de 2019

A lenda do Trigo (Lenda), de Eduardo Sequeira


A lenda do Trigo
Satanás tinha dado um grande campo a um lavrador com a condição de que metade da colheita seria para ele. Naquela ocasião, e na terra onde o fato se dera, não era conhecida senão a sementeira da batata, que foi a que o lavrador fez. Chegada a época da colheita, o diabo veio reclamar o que lhe pertencia, e, dizendo que a metade dele era a que estava debaixo da terra, enquanto que a do ar era do lavrador, deixou este só com a rama, sem ter alimento para todo o ano. O pobre do homem ludibriado por Satanás, lastimava a sua sorte, chorando à beira do caminho que passava por junto do campo, quando apareceu um santo monge que inquirindo a causa do pesar do lavrador, resolveu pregar uma peça ao diabo. Disse ao homem que o acompanhasse e, chegado ao mosteiro a que pertencia, deu-lhe sementes de trigo, ensinando-lhe como se semeava e como dele se fabricava pão.
O lavrador fez o que o santo monge lhe indicara, e, logo que veio o tempo da colheita, chamou Satanás que, como no ano anterior, reclamou o que estava sob a terra, mas daquela vez ficou logrado pois só teve as raízes enquanto o lavrador se regalava com a magnífica colheita de trigo que lhe forneceu um saborosíssimo pão.

---
Eduardo Sequeira - (Lenda dos Vegetais, 1892)
Pesquisa e adequação ortográfica: Iba Mendes (2019)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...