sexta-feira, 4 de maio de 2018

Brasílio Machado – Aspectos biográficos


Brasílio Machado – Aspectos biográficos

Texto publicado originalmente na revista "Ilustração Brasileira", em edição de 1948. Transcrição e atualização ortográfica de Iba Mendes (2017)
---


Brasílio Augusto Machado de Oliveira — poeta, professor, tribuno, jurista, educador, administrador, jornalista e patriota — nasceu na cidade de São Paulo, a 4 de setembro de 1848. Era filho do brigadeiro José Joaquim Machado de Oliveira. Ingressou no Seminário Episcopal, de onde saía, em 1868, para matricular-se na Faculdade de Direito. Não era apenas o estudante assíduo e o jornalista poderoso, que sabia focalizar com maestria os problemas palpitantes, mas também o poeta inspirado, que anos mais tarde o seu livro Madressilvas, havia de consagrar. Em 1872 recebia o diploma de bacharel, obtendo em 1873, a nomeação para promotor público de Piracicaba, então chamada Constituinte, onde confirmou sua reputação de orador, já revelada durante o curso acadêmico. Em 1875, defendeu tese na Faculdade de Direito e colou grau de doutor, enfrentando a austera congregação. Em 1882 voltou à Academia de Direito, agora para disputar uma cátedra. Alcançou vitoriosamente seu objetivo. Quando em 1890, como catedrático passou a lecionar Filosofia de Direito e em 1891 professava Direito Comercial, já era considerado um dos mais brilhantes professores. Deu cursos que abrangiam quase todos os departamentos do Direito. Suas aulas sempre foram concorridas e apreciadas. Até mesmo alunos de outros anos, faziam empenho em ouvir sua exposição clara, vazava numa forma elegante, que maior encanto emprestava às preleções. Amável e severo, arguia sempre a sorrir. Na banca dos exames, sua maneira de perguntar era a um tempo carinhosa e tremenda. Quando Brasílio Machado, mestre emérito do Direito Comercial, deixou a cátedra em 1911, para assumir a presidência do Conselho Superior do Ensino da República, cargo que desempenhou pelo espaço de quase dois lustros, era um insuperável penalista, dominador da arte da palavra falada. Foi ele por dilatados anos, a figura obrigatória em todos os rumorosos processos debatidos no Júri de São Paulo e do interior. Sua presença na tribuna judiciária atraía para o Tribunal Popular, todo o São Paulo culto do seu tempo. As defesas de Brasílio Machado reunidos em volume, firmariam uma obra verdadeiramente útil e apreciável. Seus discursos e conferências, proferidos em várias oportunidades, constituem legítimas joias, dignas de se destacar em antologias. Ainda como administrador, Brasílio Machado deu sobejas provas de sua capacidade. Como presidente da Província do Paraná, realizou nos anos de 1884 e 1885, trabalho notável, granjeando e reconhecimento público dos paranaenses e do Governo Imperial. Foi sincero e operoso paladino da libertação dos escravos. Mas a política não conseguiu empolgá-lo, após uma tentativa malsucedida para se eleger deputado. Como jornalista, colaborou no Correio Paulistano, no Diário Popular, no Comércio de São Paulo, e Diário da Manhã. Fundou e dirigiu o O Piracicaba e A Constituinte. Leão XIII deu-lhe a medalha Pró Eclesia et Pontifice e Pio X concedeu-lhe o título de Barão Romano. Patriota fervoroso, servido por uma cultura vasta e sólida, Brasílio Augusto Machado de Oliveira é um nome que honra e prestigia um povo. Sempre se bateu pelas causas justas, tendo como objetivo permanente a grandeza de São Paulo e do Brasil.

Revista “Ilustração Brasileira”, outubro de 1948.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...