sábado, 27 de outubro de 2018

O jabuti e o lagarto (Conto infantil), de Monteiro Lobato



O jabuti e o lagarto

Era uma onça que tinha uma filha no ponto de casar-se. Havia dois pretendentes: o lagarto e o jabuti. Para desmoralizar o rival, o jabuti andou dizendo que o lagarto não valia nada, que era bicho tão à-toa que ele jabuti até o usava como cavalo. Como a onça duvidasse, o jabuti ficou de aparecer montado no lagarto, e dar-lhe de chicote e espora na vista de todos.

No dia seguinte o jabuti ficou à porta de sua casa com um lenço amarrado na cabeça. Chega o lagarto.

— Compadre jabuti, vou indo para a casa da onça. Não quer ir comigo?

O jabuti agradeceu o convite — mas ir como, se estava com uma dor de cabeça furiosa?

O lagarto insistiu, e ele:

— Só poderei ir se alguém levar-me às costas.

— Pois levo — disse o lagarto — mas há de descer longe da casa da onça. Não quero que me vejam servindo de cavalo.

— Muito bem, compadre lagarto, mas montar em pelo não dá certo. Deixe-me botar em seu lombo o meu caquinho de sela.

O lagarto protestou que não era cavalo para andar de sela às costas.

— Sei que não é cavalo, compadre, mas isso de montar em pelo não vai comigo — e tanto insistiu que o lagarto deixou-se arrear.

O jabuti, então, montou, depois de munir-se dum bom chicote e dum par de esporas.

Foram. A cem metros da casa da onça o lagarto pediu-lhe que apeasse e lhe tirasse do lombo o caquinho de sela.

— Oh, compadre, estou me sentindo tão ruim que nem pensar em pôr o pé no chão eu posso. Tenha paciência. Leve-me até ali adiante — e o lagarto caminhou mais cinquenta metros com ele às costas. Vencidos os cinquenta metros, o lagarto pediu-lhe de novo que descesse — mas o jabuti tanto chorou que o lagarto foi com ele às costas até o terreiro da onça. A onça apareceu.

— Então, senhora onça! — gritou o jabuti. — Está convencida de que o lagarto é meu cavalo? E fincou a espora e meteu o chicote no pobre lagarto até não poder mais.

Encantada com a valentia do jabuti, a filha da onça casou-se com ele.

***

— Que grandissíssimo pândego! — observou Narizinho. — Bobeou duma vez o outro. Quatro já que o jabuti logra: o homem que o prendeu na caixa, duas onças e este lagarto. Estou vendo que nenhum bicho pode com ele.

— E não pode mesmo — confirmou tia Nastácia. — O jacaré também não pôde, querem ver?

E contou a história de " O jabuti e o jacaré".



---
Notas:
Extraído da obra: Histórias de Tia Nastácia.
Transcrição e atualização ortográfica: Iba Mendes (2018)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...