domingo, 9 de dezembro de 2018

"Os Deputados" (Paródia de "As Pombas", de Raimundo Correia)


A PARÓDIA

Os Deputados
(Paródia ao soneto "As Pombas", de Raimundo Correia)

Vai-se o primeiro sem ter feito nada,
Vai-se outro mais... mais outro, enfim dezenas
De deputados vão-se embora apenas
Raia da mamadeira a temporada...

Já no fim do ano à casa abandonada,
Sonhando noites, no Recreio, amenas,
A cofiar os bigodes e as melenas,
Voltam todos em bela patuscada!

Também das arcas do tesouro escoam
As notas uma a uma; vão-se e voam
Qual voam deputados federais...

Do bolsinho do povo elas se soltam,
Voam: porém os deputados voltam,
E ao nosso bolso elas não voltam mais.

PEDRO GOYANAZ (Revista "Olho da Rua, 1908)


---
O ORIGINAL:

As Pombas

Vai-se a primeira pomba despertada...
Vai-se outra mais... mais outra... enfim dezenas
Das pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia sanguínea e fresca a madrugada.

E à tarde, quando a rígida nortada
Sopra, aos pombais, de novo elas, serenas,
Ruflando as asas, sacudindo as penas,
Voltam todas em bando e em revoada...

Também dos corações onde abotoam
Os sonhos, um a um, céleres voam,
Como voam as pombas dos pombais;

No azul da adolescência as asas soltam,
Fogem... Mas aos pombais as pombas voltam,
E eles aos corações não voltam mais.

RAIMUNDO CORREIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...