sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Uma por uma (Paródia ao “Da existência as flores”, de José Maria do Amaral)



A PARÓDIA

Uma por uma
 (Paródia ao “Da existência as flores”, de José Maria do Amaral)

Uma por uma, da algibeira as “granas”
se “granas” eu já tive na algibeira,
uma por uma, na ilusão fagueira,
Levadas vi por outras mãos maganas.

Pobres tolices, muito levianas,
o explorador não ouve choradeira,
Bolso invadido quebradeira,
de tanta experiência não te ufanas ?

Assim perde vergonha, amigos, tudo,
nas bacanais do mundo interesseiro.
Só tu, mentira! restas como escudo!

Irei contigo na existência inteiro,
Mentindo aos mentirosos que me iludo,
para poder viver sem ter dinheiro...

"PETIT DRÔLE"
Revista "Careta", 1947.


---
O ORIGINAL

Da existência as flores

Uma por uma, da existência as flores,
Se a existência que temos é florida,
Uma por uma ao correr da vida
Fanadas vi sem viço e vi sem cores.

Sonhos mundanos, sois enganadores;
Alma que sonhou vive iludida!
Existência de flores tão despida,
Que te fica senão tristeza e dores?

DO mundo as ilusões perdi funestas;
Ao noitejar da idade em amargura,
Esperança cristã, só tu me restas!

Fujo contigo desta vida impura;
Nas crenças, que tão místicas me emprestas,
Transponho, antes do morte, a sepultura.

JOSÉ MARIA DO AMARAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...