terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

O eterno descontente (Conto), de Leon Tolstoi


O eterno descontente

Um homem descontente com a sorte  queixava-se de Deus.

— Deus — dizia ele — dá aos outros as riquezas e a mim não dá coisa alguma. Como é que eu hei de poder fazer o meu caminho nesta vida, sem possuir coisa nenhuma?

Um velho ouviu estas palavras e disse-lhe:

— Acaso és tu tão pobre como dizes? Deus não te deu, porventura, saúde e juventude?

— Não digo que não, e até me orgulho  bastante da minha força e do verdor dos meus anos.

O velho pegou então na mão direita do homem e perguntou-lhe:

— Deixavas cortar essa mão por mil rublos?

— Nem por dez mil!

— E a esquerda?

— Também não!

— E por dez mil rublos, consentias em ficar cego por toda a vida?

— Nem um olho dava por tal dinheiro! Deus me livre!

— Vês — observou o velho — que riqueza Deus te deu e tu ainda te queixas!


---
Revista de Ensino, 1927.
Pesquisa, transcrição e adaptação ortográfica: Iba Mendes (2019)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...