domingo, 21 de abril de 2019

Esboço biográfico de Camilo Castelo Branco



Esboço biográfico de Camilo Castelo Branco

Camilo Castelo Branco (1826-1890) foi poeta, dramaturgo, romancista, crítico e um dos mais fecundos e operosos escritores que conta a história da Literatura Portuguesa.

Natural de Lisboa, órfão de pais desde verdes anos seguiu os seus estudos com muita irregularidade no Porto e em Coimbra. A sua atividade literária é verdadeiramente febricitante desde os primeiros passos no domínio das letras. As suas obras elevam-se à grandiosa soma de 262, compreendendo poesia, romance, conto, drama, opúsculos de crítica, traduções, biografias, etc. E não fosse a doença que o torturava nos últimos anos, o desconsolo produzido por muitas dores de consciência, a cegueira que o atacou irremediavelmente, e por último, a morte que a si próprio se deu no dia primeiro de junho de 1890, e certamente a herança legada ao país seria melhormente acrescida como de quem possuía a pena mais bem dotada, mais rica e mais fecunda que porventura pôde apontar a nossa galeria literária.

Como Herculano, Garrett, Rebelo da Silva, Arnaldo Gama, Silva Gaio, explorou Camilo o domínio da história aliado ao da fantasia escrevendo dezenas de novelas e romances históricos, em que o interesse pela narrativa se desenrola através de páginas duma lídima linguagem bem portuguesa e bem clássica, sempre rica e variada, maleável ao sabor do artista genial que a emprega, umas vezes provocando a gargalhada, outras o patético, mas sempre dúctil, apropriada e bela. Os seus tipos — o brasileiro, os velhos fidalgos do norte, os abades do Minho, o boticário, o escrevente, o namorador apaixonado e romântico, o político, e quantos outros vivem nas páginas dos seus livros imorredouramente.

Desde a Agulha em palheiro, O olho de vidro, O Retrato de Ricardina, ao Eusébio Macário, Brasileira de Prazins, sem dúvida, o espaço percorrido é enorme, mas em todos se pode admirar o estilo amplo e a maneira viva e colorida que prende e encanta.

Dentre suas obras, destacam-se:

NO TEATRO: Abençoadas lágrimas, Agostinho de Ceuta, Condenado, Justiça, O morgado de Fafe em Lisboa, O Morgado de Fafe amoroso, Marquês de Torres Novas, Purgatório, Paraíso, etc.

NO ROMANCE: Amor de Perdição, Amor de Salvação, Os Brilhantes do Brasileiro, Sereia, A Bruxa do Monte Córdova, A Corja, Mistérios de Lisboa, Livro Negro, A Neta do Arcediago, Eusébio Macário, Vulcões de Lama etc.

NA POESIA: Ao anoitecer da vida, Duas épocas da vida, Inspirações, Um livro, Nas trevas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...