sexta-feira, 5 de julho de 2019

Tudo mobilizado (Conto), de Brito Camacho



Tudo mobilizado
— O cavalheiro deseja?...
— Fui intimado a apresentar-me aqui, sob pena de desobediência, e como...
— Está muito bem...
— Perdão, está muito mal, porque eu não me acho compreendido em nenhuma das inúmeras disposições da lei.
— Essa agora é melhor!
— Queira desculpar, mas esta agora é pior, visto que me incomodam sem motivo nem razão.
— Isso é o que lhe parece, mas vamos lá a ver. Tem quantos anos?
— Fiz 45 há três semanas.
— Não é então chamado pela idade. Mas tem um curso?
— Sei ler e escrever, como toda a gente.
— Ora aí está — bacharel...
— Perdão; eu fiz o exame de instrução primária, que ao tempo só tinha um grau, e frequentei o primeiro ano dos liceus.
— Fez serviço militar? Foi sargento?
— Não, senhor. Livrei-me pelo número.
— E foi chamado para fazer a escola de milicianos? O melhor é perguntar ao Ministro...
— Já vi tudo isso. Tem mais de 45 anos, nunca foi militar, não tirou curso algum... Na verdade parece-me que o homem não está compreendido no decreto.
— Pois engana-se. Está compreendido na disposição do artigo último.
— Do último artigo?
— Sim, senhor, no etc.
— O cavalheiro foi chamado, e muito bem. A disposição que o abrange é o etc., com que fecha o último artigo do decreto.
— Não tinha reparado... Mas, o Sr. desculpe- eu sou casado e a gente precisa saber... A minha mulher não estará compreendida na mesma disposição?


---
Pesquisa, transcrição e adaptação ortográfica: Iba Mendes (2019)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, críticas e outras coisas...